2.23.2011
Amor é outra coisa
 
Assim como a grande maioria das pessoas que conheço, tive uma criação cristã e uma mãe dramática. Mas, ao contrário da maioria dos brasileiros, sou privilegiada por nunca ter precisado viver com menos que o necessário. Mesmo assim cresci questionando a disposição das peças no mundo que me cerca. Por um momento deixei me convencerem que caridade e submissão fariam de mim uma pessoa melhor. Paciência era uma virtude que eu precisava desenvolver. Nasci egoísta e isso era um crime pelo qual precisava pagar.

Um dia Dogville chegou a mim. E nele eu vi muito mais do que uma revolução estética. Eu vi Grace... e nela me vi. Querendo consertar o mundo e sendo engolida pela minha própria arrogância, por me acreditar ser capaz de assumir essa responsabilidade. Grace e seu pai vieram me contar que culpa não é bondade e não se conserta as pessoas estimulando o que elas têm de pior. Aliás, não se conserta pessoas. Elas não são problema meu.

Em uma entrevista sobre outra de suas criações, Lars Von Trier declarou que ele é o melhor diretor do mundo, já Deus, ele não estava certo de ser o melhor deus. Bem, não sei nada sobre Deus, mas é a Lars Von Trier que agradeço por ter me absolvido da culpa de ser humana. E não ter receio de, quando eu achar que for preciso, matar a todos e queimar a cidade.

Dogville fez de mim uma pessoa diferente. Se melhor ou pior, depende do ponto de vista. Só sei que to precisando assistir de novo. 


posted by Arlequina @ 2:46 PM  
 



3 Comments:
  • At 3:28 PM, Blogger Fá Nascimento said…

    Adoro Dogville. Adoro como vc escreve.
    Já virou lugar-comum dizer que vc se supera a cada texto, mas nem sempre posso fugir da mesmice de minhas palavras.

     
  • At 12:28 PM, Anonymous Thiago de Melo said…

    Análise primorosa da nossa condição de ser humano, de sermos partes de um jogo que nao conhecemos as regras e ao tempo sermos donos de nosso próprio destino.
    Gosto muito do filme e do diretor...

    ainda em USA ou em SE?

     
  • At 1:26 PM, Blogger Arlequina said…

    deus me livre pros dois :P

    to em sp.

     
Postar um comentário
<< Home


il libretto

 

Rss


"Em qualquer terra em que os homens amem. 
 Em qualquer tempo onde os homens sonhem.
 
                                                        Na vida."

Máscaras - Menotti del Picchia

 

outros palhaços

 

Ai Minha Santa Aquerupita!
By Julia
Meu Melhor Amigo Gay
Quero te pegar sóbrio
Cara de Milho
Humano e Patético
Bodega da Loli
Café e Cigarros
Flor de Hospital
Diário de Trabalho
Homem é Tudo Palhaço
Vida Bizarra
A Casa das Mil Portas

 

clap

 

Opera Bufa
Desenblogue
Pérolas para porcos
Piores Briefings do Mundo
Malvados
Vida Besta
Omelete
Danilo Gentili
Wagner & Beethoven
Ryotiras
Vai trabalhar, vagabundo!
Follow the Colours
Design On The Rocks
Puta Sacada
4P
Anões em Chamas
Kibe Loco

 

o carnaval que passou