12.23.2010
2010
 
Poderia ser o ano que realizei o sonho de morar em São Paulo. Poderia ser o ano que realizei o sonho de ganhar dinheiro escrevendo. Poderia ser o ano em que descobri que o Carnaval do Rio é quase tão bom quanto o de Olinda. Poderia ser o ano que consegui comprar o item mais valorizado do Brasil: ingresso pro show do U2.

Vamos pular o PÂNICO de achar que não seria feliz  em São Paulo (porque se não conseguisse aqui, era prova desesperadora de que não conseguiria em lugar nenhum do mundo). Vamos pular uma das maiores depressões da minha vida, a mais forte crise de ansiedade de todos os tempos, o aniversário querendo morrer, a frustração de ser completamente incapaz de fazer (e manter) novas amizades.

Vamos pular, porque esse foi o ano de reafirmar as velhas e infinitas. Anderson, (L). Iô, =). Eitch, \m/. Thawana, :D. Barbs, :*. Rapha... :~) . Vocês não calculam quantas vezes me resgataram sem nem saber onde eu tava afundando.  Obrigada.

Vamos pular também a primeira agência onde trabalhei, porque 2010 vai ser o ano da Zebra. Do chefe maluco mais irritante e legalzão do mundo (Gui, tá lendo?), da minha Rory Gilmore (Paulinha, sua LINDA), da fofíssima Elisa Kawaii, da das noites de pizza divertidas (só vou lembrar das divertidas) e de trabalhar na Augusta, a minha dama caótica cheia de poesia, meu lugar no Universo.

Aaaaah 2010 foi o ano das VERY happy hours. O ano da Party Intima, o ano do Hotel Cambridge, o ano do The Wall (descobri agora em dezembro, mas foda-se, descobri em 2010, vai ser de 2010), do samba de Pinheiros.

Vamos pular aqueles seis meses que eu passei rodando de casa em casa, desesperadamente procurando um lugar pra morar, enquanto esbarrava em toda sorte de roomate bizarro. Porque 2010 foi o ano que achei a maloca mais linda desse mundo e virei vizinha do Adoniran. A maloca querida carinhosamente denominada RABADA - “Raphs, Barbs & Debs Association”- dindindonde passaremos dias feliz de nossas vida.

Vamos pular a parte que eu me despeço da Julia. Duas vezes. Vamos dizer que 2010 foi o ano que reencontrei Alinão, que deu o ar de sua graça cheio de glitter. O ano que descobri pessoalmente que Mariana fuma, vejasó! O ano que hospedei Daniel e a namorada mais sensacional que um amigo meu já pode arrumar (Picoca in my heart forever!).  

2010. O ano que descobri o prazer de andar a Paulista de ponta a ponta ouvindo Tori Amos no mp3. O prazer de ler uma poesia na parede do metrô. O prazer de comer um cupcake do Vegacy. De tomar um chocolate trufado do Fran’s. De ler um quadrinho esparramada no pufe da Cultura. De rir muito ao perceber que do lado de uma boite de playboy chamada Vegas tem um puteiro tosco chamado Las Jegas, com jegas de sainha pintadas na fachada. De balançar no chorinho da Benedito Calixto. De chorar na sala de vídeo do Museu da Língua Portuguesa. De desvendar o significado das péssimas traduções do cardápio do Chi Fu. De me deparar com um grafite novo no caminho pro trabalho. De ver o mendigo velho com o disk man dançando toda noite na frente do Banco Safra. De ter um apartamento com cara de albergue, sempre cheio de visitas e hóspedes. De ficar em casa fazendo nada e rindo, rindo muito, com os melhores roomates EVER.

2010 tem várias coisas que eu gostaria de pular. Mas não vou. Porque elas passaram. E o que fica é isso aí.


posted by Arlequina @ 5:27 PM   8 comments
 





12.06.2010
Eu já disse que amo criança?
 
Me arrumava pro aniversário de 15 anos da minha prima enquanto conversava com outra, de 8. Eis o diálogo:

- Por que eu nunca te vi?
- Porque eu moro em São Paulo.
- Ah, então por isso que você fala assim?
- Assim como?
- Estranho, diferente de mim. Você não sabe falar que nem brasileiro não?
- ?
- E que nem a Hanna Montana, você sabe falar?
- E como a hanna Montana fala?
- Tipo... cherap, ben!
- Shut up, Ben?
- E japonês, você sabe falar?
- Japonês eu não sei.
- Seu cabelo é dessa cor mesmo?
- Não. Eu pinto.
- Por que você é roqueira?
- ...
-  Posso te maquiar?
- Hum... daqui a pouco tá?
- Quando eu crescer também vou ter tatuagem.
- Na minha idade você pode ter.
- Quantos anos você tem?
- Quantos anos você acha que eu tenho?
- Hum....... DEZENOVE!


Embrulha, que vou levar pra viagem! :)
posted by Arlequina @ 4:25 PM   2 comments
 




il libretto

 

Rss


"Em qualquer terra em que os homens amem. 
 Em qualquer tempo onde os homens sonhem.
 
                                                        Na vida."

Máscaras - Menotti del Picchia

 

outros palhaços

 

Ai Minha Santa Aquerupita!
By Julia
Meu Melhor Amigo Gay
Quero te pegar sóbrio
Cara de Milho
Humano e Patético
Bodega da Loli
Café e Cigarros
Flor de Hospital
Diário de Trabalho
Homem é Tudo Palhaço
Vida Bizarra
A Casa das Mil Portas

 

clap

 

Opera Bufa
Desenblogue
Pérolas para porcos
Piores Briefings do Mundo
Malvados
Vida Besta
Omelete
Danilo Gentili
Wagner & Beethoven
Ryotiras
Vai trabalhar, vagabundo!
Follow the Colours
Design On The Rocks
Puta Sacada
4P
Anões em Chamas
Kibe Loco

 

o carnaval que passou


Julho 2005

Agosto 2005

Setembro 2005

Outubro 2005

Novembro 2005

Dezembro 2005

Janeiro 2006

Fevereiro 2006

Março 2006

Abril 2006

Maio 2006

Junho 2006

Julho 2006

Agosto 2006

Setembro 2006

Outubro 2006

Novembro 2006

Dezembro 2006

Janeiro 2007

Fevereiro 2007

Março 2007

Maio 2007

Junho 2007

Julho 2007

Outubro 2007

Novembro 2007

Dezembro 2007

Fevereiro 2008

Março 2008

Abril 2008

Maio 2008

Junho 2008

Julho 2008

Agosto 2008

Setembro 2008

Outubro 2008

Novembro 2008

Dezembro 2008

Janeiro 2009

Fevereiro 2009

Março 2009

Abril 2009

Maio 2009

Junho 2009

Julho 2009

Agosto 2009

Setembro 2009

Outubro 2009

Novembro 2009

Dezembro 2009

Janeiro 2010

Fevereiro 2010

Março 2010

Abril 2010

Maio 2010

Junho 2010

Julho 2010

Agosto 2010

Outubro 2010

Novembro 2010

Dezembro 2010

Janeiro 2011

Fevereiro 2011

Março 2011

Abril 2011

Maio 2011

Junho 2011

Outubro 2011

Dezembro 2011

Janeiro 2012

Março 2012